Internacional

Por que cada vez mais americanos resolvem se mudar para o México

Internacional 25/07/2019/ 14:25:18
Por que cada vez mais americanos resolvem se mudar para o México

Embora não haja números oficiais, estima-se que os americanos ali somem entre 7 e 14 mil.

"A maioria é de aposentados. Mas como Donald Trump é o presidente dos Estados Unidos, há cada vez mais jovens que não querem mais estar lá e vêm para cá", diz ele.Vidal é o diretor executivo da The Lake Chapala Society A.C., uma organização que se define como de "pessoas que ajudam as pessoas" que se mudam para Ajijic - e não apenas os americanos.


A Embaixada dos EUA no México estima que dos nove milhões de americanos que vivem fora de seu território, 1,5 milhão esteja no México.

As fontes consultadas pela BBC News Mundo dizem nunca terem visto uma diáspora de americanos desta dimensão; mas a extensão desse movimento é difícil de confirmar, já que os EUA não têm informações sobre seus cidadãos no exterior. Além disso, muitos moram no México com visto de turista.

Uma das maiores comunidades de americanos no México está em Ajijic

Mas é consenso que a presença de americanos no México tem aumentado na última década. Além de ser um país mais barato e ter um clima menos severo, outra razão para os americanos migrarem para lá é a proximidade geográfica.

"É uma boa opção porque é um país vizinho do qual você pode viajar facilmente (para os EUA) e também há comunidades de americanos, o que facilita as coisas", explica Rachel Schmidtke, pesquisadora do Woodrow Wilson Institute for Scholars, um centro de pesquisas baseado em Washington.

Vidal, diretor-executivo da The Lake Chapala Society A.C., diz que os americanos que têm se mudado para Ajijic têm um perfil parecido, e os chamou de "pássaros de uma mesma plumagem". Seriam de um estrato social semelhante, e a maioria, segundo Vidal, se identifica com o Partido Democrata, embora também haja, entre eles, republicanos e simpatizantes de Trump.

'Ajijic é uma colônia moderna', explica Terry Vidal

Segundo Vidal, Ajijic é uma colônia moderna, que "não foi imposta pela força, mas pela economia". 

E a colônia americana é tão grande que muitos nem precisam falar espanhol, mesmo que já vivam na cidade mexicana há muitos anos. Mas esta também não é uma situação geral; muitos dos americanos que vivem no México falam perfeitamente o espanhol.

'No México, me sinto mais em casa'

É o caso de Natalie Baur, historiadora especializada na preservação de arquivos digitais que chegou à Cidade do México há quatro anos, "foi onde eu me encontrei. Agora, me sinto mais em casa aqui do que nos Estados Unidos", diz. Ela chegou com uma bolsa de estudos para estudar por nove meses, mas depois ficou.

Ela diz que ficou feliz por estar morando no México quando, em novembro de 2016, Donald Trump venceu as eleições presidenciais.

"Pode ser muito estranho para o governo americano que um cidadão queira viver no exterior, por exemplo, no México. Mas todos nós temos o direito de migrar. Alguns querem ir (para os EUA), outros querem sair de lá - e não somos traidores para isso", defende. "Eu amo meu país. Mas meu dia a dia está aqui."

Ela está feliz com os amigos que fez na capital mexicana, embora aponte para alguns "defeitos" do novo país. "Os processos burocráticos são difíceis e às vezes inúteis", diz.

'Todos nós temos o direito de migrar. Alguns querem ir (para os EUA), outros querem sair de lá', diz Natalie Baur

'Todos nós temos o direito de migrar. Alguns querem ir (para os EUA), outros querem sair de lá', diz Natalie Baur

Quanto aos processos para legalizar a sua situação imigratória, ela lembra as dificuldades que muitos trabalhadores mexicanos enfrentam nos EUA, enquanto tudo é mais fácil para seus compatriotas no México.

"Quis estar aqui em situação legal, e pago vários impostos porque quero ser justa e contribuir para o país. Mas há muitos americanos que se aproveitam do fato de poder morar aqui sem se registrar", conta.

A jovem diz que foi cativada pela generosidade dos mexicanos, que querem mostrar a beleza de seu país e receber pessoas que não conhecem de braços abertos.

"Eu não era assim, mas agora tenho mais confiança."

fonte: terra.com.br

Outras Notícias