Internacional

Fraudes no Telegram usam dados de milhões de brasileiros para vender cartões de crédito,

Internacional 14/08/2019/ 23:10:18
Fraudes no Telegram usam dados de milhões de brasileiros para vender cartões de crédito,

Telegram é usado por criminosos para negociar diversos produtos e serviços ilegais, de dados pessoais de brasileiros a serviços de streaming hackeados. 

Milhares de pessoas são bombardeadas o dia inteiro por ofertas tentadoras - e ilegais - como essas em grupos e canais do Telegram, aplicativo que está sob os holofotes desde os vazamentos de mensagens trocadas entre procuradores da Lava Jato e o então juiz federal Sergio Moro.

Comunidades brasileiras no Telegram ligadas a fraudes chegam a reunir mais de 20 mil pessoas, numa espécie de "feira do rolo" gigante, quase uma dark web acessível a qualquer um.

Um ambiente onde vendedores e compradores se escondem sob o anonimato oferecido pelo aplicativo de troca de mensagens e, sem a necessidade de conhecimento técnico avançado, negociam informações pessoais, como nome da mãe, endereço e data de nascimento (além do CPF), cadastros falsos e cartões de crédito de milhões de brasileiros, que geralmente não sabem que são vítimas de fraudes. Ainda há ofertas de internet 4G ilimitada, canais de TV pela web, contas em serviços como Netflix e Spotify por um quarto do valor cobrado oficialmente pelas empresas, além de telas falsas de sites de bancos para furtar dados de clientes.

A reportagem recebeu convites para grupos de venda de drogas e até para participar da rifa de uma pistola da marca Glock.

Ao longo da apuração desta reportagem, a BBC News Brasil não fez nenhuma compra ou negociação, mas acompanhou diálogos e teve acesso a provas de que produtos ofertados funcionam de fato - o alto número de pessoas presentes nesses grupos também reforça a "credibilidade" das fraudes negociadas, segundo especialistas.

Autoridades confirmaram a existência dessas invasões e vendas ilegais de dados pessoais e sigilosos no Telegram. A maior parte das empresas vítimas desses golpes preferiram não comentar especificamente os ataques sofridos e, em resumo, dizem investir em seus sistemas de segurança. 

Por causa de suas características, o Telegram acaba por facilitar ilegalidades que normalmente eram cometidas por meio de outras plataformas de comunicação, como IRC, ICQ, fóruns fechados, Orkut, Facebook e WhatsApp.




Outras Notícias